segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

" De nuestros miedos
nacen nuestros corajes
y en nuestras dudas
viven nuestras certezas.
Los sueños anuncian
otra realidad posible.
y los deliros otra razón.
En los extravios
nos esperan hallazgos,
porque es preciso perderse
para volver a encontrarse."
(Eduardo Galeano)

domingo, 26 de janeiro de 2014

"A Educação é um processo social, é desenvolvimento. 
Não é a preparação para a vida, é a própria vida."
(John Dewey)

sábado, 25 de janeiro de 2014

Non, Je Ne Regrette Rien

Non, rien de rien,
non, je ne regrette rien.
Ni le bien qu'on m'a fait,
ni le mal, tout ça m'est bien égal.

Non, rien de rien,
non, je ne regrette rien,
C'est payé, balayé, oublié,
je me fous du passé.

Avec mes souvenirs,
j'ai allumé le feu.
Mes chagrins mes plaisirs,
je n'ai plus besoin d'eux.

Balayés mes amours,
avec leurs trémolos.
Balayés pour toujours
je repars à zéro...

Non, rien de rien,
non, je ne regrette rien.
Ni le bien qu'on m'a fait,
ni le mal, tout ça m'est bien égal.

Non, rien de rien,
non, je ne regrette rien.
Car ma vie, car mes joies,
Pour aujourd'hui
ça commence avec toi


segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Festas Gastronômicas em Paris - 2014

Dicas de festas Gastronômicas em Paris, para quem for visitar em 2014:


- Festa da Coquille Saint Jacques (vieiras) em Montmatre - Aos pés do Sacre Coeur, na praça Abbesses, do dia 25 a 26 de Janeiro. Produtos da Bretanha: coquilles Saint Jacques, ostras, bolos, crepes, cidre, e outros.



- Mercado dos pequenos produtores franceses perto das Galerias Lafayette - No Boulevard Haussmann, entre a estação do metro Chaussée d'Antin e Richelieu-Drout, do dia 29 a 31 de Março. Visite os 40 stands de produtos da região de Bordeaux, Cahors, Agen. Produtos: vinhos patês, frutas secas, embutidos, queijos destas regiões.

- Festa do Pão - Diante da Catedral de Notre Dame, do dia 13 a 19 de Maio, venha conhecer a famosa baguette francesa e outras variedades de pães e seus diferentes sabores.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Heterogenéricos em Espanhol

Os Heterogenéricos são substantivos que mudam de gênero de um idioma a outro, ou seja, tem gêneros diferentes em português e espanhol.
Os substantivos em espanhol e em português, por serem línguas muito próximas, costumam ter o mesmo gênero, porém nem sempre é assim.
Observem algumas exceções:

Espanhol Feminino
Português Masculino
La a, la be, la ce (nome das letras)
o a, o bê, o cê

La alarma
O Alarme
La baraja
O Baralho
La cárcel
O Cárcere
La costumbre
O Costume
La crema
O Creme
La cumbre
O Cume
La labor
O Labor
La leche
O Leite
La legumbre
O Legume
La licuadora
O Lquidificador
La miel
O Mel
La nariz
O Nariz
La pélvis
O Pelve
La pesadilla
O Pesadelo
La sal
O Sal
La sangre
O Sangue
La señal
O Sinal
La sonrisa
O Sorriso


Heterogenéricos em Espanhol

Espanhol Masculino
Português Feminino
El Almacenaje
A Armazenagem
El Análisis
A Analise
El Árbol
A Árvore
El Arte
A Arte
El Cartílago
A Cartilagem
El Carruaje
A Carruagem
El Chantaje
A Chantagem
El Color                    
A Cor
El Coraje
A Coragem
El Cutis
A Cútis
El Desorden
A Desordem
El Dolor
A Dor
El Espionaje
A Espionagem
El Equipaje
A Bagagem
El Equipo
A Equipe
El Estante
A Estante
El Garaje
A Garagem
El Homenaje
A Homenagem
El Hospedaje
A Hospedagem
El Humo
A Fumaça
El Kilometraje
A Quilometragem
El Lenguaje
A Linguagem
El Linaje
A Linhagem
El Mensaje
A Mensagem
El Montaje
A Montagem
El Origen
A Origem
El Paisaje
A Paisagem
El Pasaje
A Passagem
El Pétalo
A Pétala
El Plumaje
A Plumagem
El Porcentaje
A Porcentagem
El Puente
A Ponte
El Sabotaje
A Sabotagem
El Tatuaje
A Tatuagem
El Testigo
A testemunha
El Tulipán
A Tulipa
El Vals
A Valsa
El Vendaje
A Vendagem
El Vértigo
A Vertigem
El Viaje
A Viagem
El Voltaje
A Voltagem

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Provérbios em Português

A César o que é de César, a Deus o que é de Deus. 
A amar e a rezar ninguém se pode obrigar. 
A bom entendedor meia palavra basta. 
A bom gato, bom rato. 
A cavalo dado não se olham os dentes. 
A concha é que sabe o calor da panela. 
A corda sempre arrebenta pelo lado mais fraco. 
A grandes males, grandes remédios. 
A justiça tarda, mas não falta. 
A lua não fica cheia em um dia. 
A melhor espiga é para o pior porco. 
A mentira tem pernas curtas. 
A morte não espera. 
A mulher e a pescada querem-se das mais gradas. 
A mulher e a sardinha querem-se das mais pequeninas. 
A mulher é como o pão, está sempre a olhar para a mão. 
A má erva depressa nasce e tarde envelhece. 
A necessidade ensina a lebre a correr. 
A necessidade faz a lei. 
A noite é boa conselheira. 
A ocasião faz o ladrão. 
A palavra é prata, o silêncio é ouro. 
A palavras loucas orelhas moucas 
A palavras loucas, orelhas moucas. 
A perna não faz o que o joelho quer. 
A pior roda é a que mais chia. 
A pressa é inimiga da perfeição. 
A primeira pancada é que mata a cobra. 
A quem Deus não deu filhos, deu o diabo sobrinhos. 
A ruim capelão, mau sacristão. 
A santo que não conheço, não rezo nem ofereço. 
A união faz a força. 
A velho recém-casado, reza-lhe por finado. 
Albarda-se o burro à vontade do dono. 
Além ou aquém, sempre vejas com quem. 
Amarra-se burro à vontade do dono. 
Amigo disfarçado, inimigo dobrado. 
Amigos, amigos; negócios, à parte. 
Amizade remendada, café requentado. 
Amor com amor se paga. 
Amor e dinheiro não querem parceiro. 
Amor é a gente querendo achar o que é da gente. 
Amor é sede depois de se ter bebido. 
Anda em capa de letrado muito asno disfarçado. 
Antes calar que mal falar. 
Antes causar inveja que dó. 
Antes fanhoso que sem nariz. 
Antes perder a lã que a ovelha. 
Antes só do que mal acompanhado. 
Antes tarde do que nunca. 
Ao menino e aos borracho põe sempre eus a mão por baixo. 
Ao rico não faltes, ao pobre não prometas 
Apos a desgraça (tempestade) vem a bonança 
Aqui se faz, aqui se paga. 
As paredes têm ouvidos. 
As rosas caem os espinhos ficam 
Asno que a Roma vá, asno volta de lá. 
Atrás de quem corre não falta valente. 
Azeite, vinho e amigo: melhor o antigo. 
À noite todos gatos são pardos. 
Água e conselho só se dão a quem pede. 
Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. 
Águas passadas não movem moinhos.