domingo, 6 de outubro de 2013

"No caminho da roça "

"Na fazenda de Bê, sua mãe mostrou aquelas flores multicoloridas à beira do caminho, me olhou com ar nostálgico e nunca mais esqueci: 'Você sabe a história dessa flor? Minha mãe contava...' Uma família foi capturada na África e o pai separado de mulher e filhos.  Antes de embarcar para o Brasil como escravo, escondeu sementes e mudas desta planta e disse: "Não se preocupem, vou plantar essa flor por onde passar para que vocês saibam onde estive, e assim vamos nos encontrar."   A vulgarmente chamada Maria-Sem-Vergonha, ou Impatiens, que veiada África, espalhou-se pelo Vale. Tão popular hoje, além dos jardins, escolhe beiras de caminhos de todo o Brasil.  Desde aquele dia, onde quer que eu encontre uma, lembro da história daquele homem.  E chamo, baixinho, Maria-da-Esperança, Patiens, Patiens. "   
(Por Cristina Braga)

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Anedotas

Um sujeito está jantando e a comida é tão ruim que ele não agüenta :
- Por favor, garçom, eu não consigo engolir esta comida. Chama o gerente.
- Não adianta.  Ele também não vai conseguir.
(Ziraldo) 

Expressões Idiomáticas de Nossa Língua Portuguesa

Abrir o coração 
Bicho-de-sete-cabeças
Botar as barbas de molho
Cara amarrada
Cair a ficha
Cair o queixo
Coisa sem pé nem cabeça
Comer o pão que o diabo amassou
Com a pulga atras da orelha 
Comprar gato por lebre
Chorar pelo leite derramado
Dar um sorriso amarelo
Dar no pé
Dar uma colher de chá 
Dar um teppo
Descascar abacaxi 
Deixar a peteca cair
Dor-de-cotovelo
Engolir sapos
Estar com a cabeça nas nuvens
Entrar pelo cano
Entregue as baratas
Fechar o tempo
Greve de fome
Jeito de quem comeu e não gostou
Maria-vai-com-as- outras
Não vale um tostão furado 
Pagar Mico
Pisar em ovos
Quebrar a cabeça
Ser um peixe fora d'água
Subir na vida
Ter as cartas na mão 
Ter minhocas na cabeça
Tirar água dos joelhos
Um deus-nos-acuda
Vá lamber sabão 

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Folclore Brasileiro - Saci-pererê

O saci-pererê é uma figura lendária do nosso folclore. É um negrinho de uma perna só, que usa um capuz vermelho e tem sempre um cachimbo na boca.  Com o seu assobio enlouquecidor e um redemoinho causado por seus giros, aparece para perturbar a vida de todo o mundo. É um verdadeiro capetinha que quebra a telha, assusta o cachorro, maltrata as galinhas, entre outras peraltices.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

New York, New York

"... Nova York é uma cidade que sabe o que quer.   Ela pulsa, a energia circula.  Diz a que veio...
Não pede licença para ser.  Ela simplesmente é.
Devagarinho, muito devagarinho, o ritmo frenético vai cedendo lugar aos prazeres.  Os prazeres de Nova York ! É cidade para ser degustada com os cinco sentidos...
Nova York abre suas portas para a história e nos transporta para outros tempos.
O coração da cidade palpita e irradia por sua artérias o calor da singularidade.  Nova York é única...
É uma cidade que se transforma e transforma a alma de quem mergulha em seus mistérios...
É intensa a ponto de ser, às vezes, assustadora.  Não há como controlá-la ou controlar-se.  É se entregar e aspirar novos sonhos...
Com toda a potência, Nova York é sólida.  Seus pilares, mesmo quando abalados, se reconstroem..."
(Cláudia Lisboa)

sábado, 8 de junho de 2013

Língua Portuguesa - Sons

Berrar = Cabra
Cacarejar = Galinha
Gorjear = Passarinho
Grasnar, Crocitar= Ganso
latir, Ladrar = Cão
Miar = Gato
Mugir = Boi, vaca
Relinchar = Cavalho
Rugir = Leão
Sibilar = Cobra
Zumbir = Abelha
Zurrar = Burro

Língua Portuguesa - Coletivos

Coletivos = são palavras que representam conjunto de animais, pessoas, seres, etc.  Exemplos de coletivos:

Alcateia = Lobos
Atlas = Mapas
Bando = aves, pessoas
Biblioteca = Livros
Colmeia = abelhas
Cardume = peixes
Colônia = formigas, insetos, bactérias
Constelção = estrelas
Enxame = abelhas, marimbondos, vespas
Esquadrilha = Aviões
Feixe = lenha
Frota = navios
Matilha = cães
Rebanho = bois, ovelhas
Tropa = cavalos

Bologna - Itália


Língua Portuguesa - Sinais de Pontuação

Travessão = É o sinal de pontuação que introduz a fala das personagens.

Trava Línguas

Quem cara paca compra, paca cara pagará.
Que compra paca cara , pagará cara paga.

Quando digo digo, digo digo, não digo Diogo.
Quando digo Diogo, digo Diogo, não digo digo.

Se o papa papasse papa, se o papa papasse pão,
O papa papava tudo, seria o papa papão.

O rato roeu a roupa do rei de Roma

O sabiá não sabia
Que o sábio sabia
Que o sabiá não sabia assobiar.

A aranha arranha a rã.
A rã arranha a aranha.
Nem a aranha arranha a rã,
Nem a rã arranha a aranha.



Língua Portuguesa

Jogral = É a leitura de um texto em grupo.

Trovas = São poemas curtos de quatro versos, também conhecidos por quadrinhas.

"Eu ti vi e tu me viste,
Tu me amaste e eu te amei,
Qual de nós amou primeiro
Nem tu sabes, nem eu sei." 
(Ricardo Azevedo)

Torres Venezianas - Praça de Espanha


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Tudo São Maneiras de Ver - Fernando Pessoa

"Onde você vê um obstáculo,
Alguém vê o termino da viagem
E o outro vê uma change para crescer.

Onde você vê um motivo para se irritar,
Alguém vê a tragédia total
E o outro vê uma prova para sua paciência.

Onde você vê a morte,
Alguém vê o fim
E o outro vê o começo de uma nova etapa...

Onde você vê a fortuna,
Alguém vê a riqueza material
E o outro pode encontrar por trás de tudo,
A dor e a miséria total.

Onde você vê a teimosia,
Alguém vê a ignorância,
Um outro compreende as limitações do companheiro,
Percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo
E que é inútil querer apressar o passo do outro,
A não ser que ele deseje isso.

Cada qual ver o que quer,
Pode ou consegue enxergar.
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura."
(Fernando Pessoa)


quinta-feira, 30 de maio de 2013

"Não quero que minha casa seja cercada por muros de todos os lados e que as minhas janelas estejam tapadas.  Quero que as culturas de todos os povos andem pela minha casa com o máximo de liberdade possível."
(Mahatma Gandhi)


domingo, 26 de maio de 2013

A Porta

Eu sou feita de madeira
Madeira matéria morta
Não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.


Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão.

Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem importa...)
Que se uma pessoa é burra
É burra como uma porta.


Eu sou muito inteligente!

Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho todo mundo
Só vivo aberto no céu.

(Vinicius de Morais)

sábado, 25 de maio de 2013

Língua Portuguesa - Parlendas

Parlendas =  Ou trava a língua. São versos que servem para divertir ou escolher quem fará uma brincadeira. São versinhos com temática infantil que são recitados em brincadeiras de crianças.   Possuem uma rima fácil, e por isso, são populares entre as crianças.

A poesia é uma pulga

A poesia é uma pulga,
Coça, coça, me chateia,
Entrou por dentro da meia,
Saiu por fora da orelha,
Faz zumbido de abelha,
Mexe,mexe, não se cansa,
Nas palavras se balança,
Fala, fala, não se cala,
A poesia é uma pulga,
De pular não tem receio,
Adora pular na escola...

Só na hora do recreio !
(Sylvia Orthof)

sábado, 4 de maio de 2013

Cultura Brasileira - Cantor e Compositor Lulu Santos



Parabéns Lulu pelos seus 60 anos de aventura,,,
Obrigada pelo carinho com seus fãs, pelas músicas que nos embalaram por tanto tempo, pela magia que vc sempre traz e faz nos palcos, que vc tenha muito mais sucesso ainda, e que a gente se divirta ainda mais com vc...

"Hoje o tempo voa amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Não há tempo
Que volte amor
Vamos viver tudo
Que há pra viver
Vamos nos permitir"

quarta-feira, 17 de abril de 2013


"Todo ser humano, por mais humilde que seja, tem um ponto melhor do que nós. Com ele podemos aprender muito.."
(Ralph Waldo Emerson)